O real valor da Eucaristia

19/02/2020

Por Frei Marcelo Aquino, O. Carm

A Divina Eucaristia, como dádiva para a vida dos homens. Nem o uso das palavras mais rebuscadas do dicionário é capaz de manifestar o real valor contido no Santíssimo Sacramento, vamos no decorrer destas poucas linhas tentar levar a cabo essa missão, mas, sem pretensão de encerrar os argumentos que nos encaminham para o pleno conhecimento da Majestade Divina, que é Jesus no Santíssimo Sacramento.

Como disse outrora, a Igreja é um mistério, e a Eucaristia é o centro desse mistério, pois como acreditamos, a Eucaristia dá a vida a Igreja. Existe um caminho, o qual podemos usar o termo cunhado por santa Teresa de Jesus, que é o caminho de perfeição, esse caminho se chama oração, é realmente a oração quem nos encaminha para os átrios de Deus, e é também a oração quem nos poderá ajudar a crescer no conhecimento da verdade contida no augustíssimo sacramento que nós maravilhosamente temos o acesso na Santa Missa, mas infelizmente muitos comungam sem, contudo, saber o que estão fazendo, e como podemos descobrir isso? Basta olhar a postura de quem comunga, não estamos aqui estimulando o julgamento, antes, essa orientação deve servir para nos corrigir em primeiro lugar, não para corrigir o outro, lembre-se sempre da máxima do Santo Evangelho, hipócrita primeiro tire a trave que está no teu olho, então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho do teu irmão.

Se percebe que as pessoas não estão com plena consciência do que seja a Santíssima Eucaristia quando ela não se confessa há anos, e, contudo, comunga em todas a missas, quando ela não sabe nem como receber a comunhão, vem como que com um alicate pegar a hóstia, existe também aquelas pessoas que pensam que receber a comunhão na boca é piedade demais, mas aqui eu faço uma pergunta, desde quando é errado tratar Jesus com piedade? Vemos então que os valores estão invertidos, a piedade é essencial na recepção da Santíssima Eucaristia, por isso existe o genuflexório, o genuflexório, não existe para outra coisa senão, para que possamos de joelhos reconhecer a realeza do Divino Salvador , mas infelizmente muita gente na Igreja acredita que vamos a Santa Missa para nos divertir, para nos sentir bem, para ver as pessoas, para passar o tempo, e assim se eu for enumerar, ficaremos dias dando exemplos de coisas que não devia ser o motivo de irmos à Santa Missa, o motivo principal de irmos a Santa Missa é prestar a Deus culto de louvor, adoração, ação de graças e de súplica. E aqui devíamos ter em mente que nossa súplica devia ser sempre em favor dos bens espirituais, e nunca em favor de bens materiais, pois nós não somos protestantes, embora muitos se comportem como se o fossem.

O protestante tem um objetivo claro diante de Deus: tirar tudo de material que for possível para ele, o católico deve ter em mente que nossa vida toda deve ser somente de súplica de perdão, pois Deus é tão maravilhoso, e nós tão desgraçadamente o ofendemos, Deus nos dá graças sem fim, e nós o trocamos por uma novela, por um futebol, por um jogo de baralho, por um banho de praia, por uma roda de conversas frívolas.

E por que devemos a Deus tributar somente pedidos de perdão? Porque nós não deveríamos pedir nada a Deus, pois ele nos deu tudo: Nosso Senhor Jesus Cristo, será que é necessário mais alguma coisa em nossa vida? Se a resposta for sim, é porque você não sabe o que é a Divina Eucaristia, no dia em que descobrirmos o seu real valor, vamos mudar totalmente nosso modo de pensar e de agir.

No dia em que a consciência a respeito desta dádiva de Deus para a vida humana for plena, então ninguém mais esquecerá de traçar o sinal da cruz quando passar em frente de uma Igreja Católica, ninguém vai passar defronte o sacrário sem fazer a genuflexão, ninguém vai ter a coragem de criticar o fiel que prefere comungar de joelhos e na boca, ninguém vai ter coragem de usar qualquer roupa para ir à Santa Missa, ninguém vai ter coragem de aceitar a auto comunhão, ninguém vai aceitar que o padre fique sentado e um ministro faça as vezes dele, ninguém vai achar normal que um ministro extraordinário prepare as oferendas no lugar do padre ou do diácono., e assim caros leitores eu ficaria aqui durante horas escrevendo coisas reprováveis que são inadmissíveis para uma pessoa que tem compreensão do seja a Divina Eucaristia, o pão que os anjos só podem adorar, e que só aos homens é dado o direito de se alimentar, o corpo de Jesus Sacramentado, alimento para alma, cura de nossas feridas, já dizia santo Tomás de Aquino, "Tanto possas, tanto ouses, em louvá-lo não repouses: sempre excede o teu louvor!", e mais ele diz essa verdade nobilíssima: "Faz-se carne o pão de trigo, faz-se sangue o vinho amigo: deve-o crer todo cristão".

A verdade é que a medida em que tomamos consciência da maravilha que é participar do Banquete do Cordeiro, nossa conduta de vida começa a ser refeita pelo amor que a Eucaristia nos impõe, depois de conhecer a Jesus Sacramento é impossível manter a vida velha, do homem velho, nós abraçamos a graça de Deus pela adesão a vida do homem novo.

Uma das coisas que mudará drasticamente em nossas vidas, é o modo como encaramos o sacramento da penitência, a partir desse momento nossa vida irá dá uma guinada em direção ao eterno, que nos sentiremos como que um pássaro que voa ao encontro do infinito, pois Deus nos cerca de carinho e proteção, deu-nos o tribunal da misericórdia, e nós fazemos pouco caso dele, Deus é o juiz misericordioso que nos chama a conversão e nos apresenta um novo plano de vida, o ato mais corriqueiro de Deus é te acolher na misericórdia pelo sacramento da penitência.

Então deixe de resistir ao amor de Deus e vá procurar um sacerdote católico e faça seu exame de consciência e em seguida confesse seus pecados, abale o inferno com sua confissão, mas agrade a Deus cause terror ao satanás, pois ele odeia quando você se confessa, pois sabe, que a confissão é o "passaporte" para participar do banquete que o Justo juiz lhe preparou. Mais uma vez recorremos ao doutor angélico "Se não vês nem compreendes, gosto e vista tu transcendes, elevado pela fé. Pão e vinho, eis o que vemos; mas ao Cristo é que nós temos em tão ínfimos sinais". Santo Tomás de Aquino, rogai por nós!