O católico e a política

19/02/2020

Por Pe. Fr. Marcelo Aquino, O.Carm.

A vida política é uma das formas de exercer a cidadania em defesa dos menos favorecidos. Há quem diga ser a maior forma de caridade, acredito que seja um pouco de exagero nesta posição, pois Nosso Senhor Jesus Cristo deu a maior forma de caridade sem, contudo ser político.

Mas refletindo sobre a vida política dos católicos e cristãos em geral, é sim um modo salutar de trabalhar pelo bem comum e preservando a essência da sociedade a família.

Hoje urge a necessidade de cristãos comprometidos com a política para poder salvar a sociedade desse mar de erros em que se encontra, sobretudo, pela corrupção e a defesa de costumes que tendem a destruir a família e também a inocência das crianças.

Faz tempo que venho refletindo sobre a necessidade de que haja católicos comprometidos com a decência e compromissados com a ética que precisa ser recolocada no âmbito de nossas ações, a luta para que o político seja correto e justos é árdua, mas não é impossível, da mesma forma que se faz necessário investir em professores de história cristãos para poder contar a verdadeira história para nossos jovens, e não aquela em que Che Guevara e Fidel Castro sejam os heróis da história, pois nós sabemos que não é verdade.

A necessidade de professores de história que conte a verdadeira história do comunismo no mundo inteiro, professores que façam os estudantes entenderem que em nenhum lugar do mundo o comunismo deu certo. Não estamos preocupados com professores de história católicos que vão bolar a "história" que querem para passar para nossos jovens, mas aqueles que vão contar a história sem deturpação, sem víeis ideológico.

A sociedade atual está passando por uma transformação e cresce a cada dia o número dos que querem a verdade norteando nossas ações, não somos um país de bandidos, a grande maioria dos brasileiros desejam que a justiça seja feita e quem cometeu crime seja penalizada com os rigores da lei.

É preciso alimentar o desejo de que tenhamos políticos que estejam lá para defender os nossos direitos, não políticos que se fizeram políticos para defender os direitos deles. Precisamos de políticos que entendam que a grande maioria da população não pode viver

com um mísero salário mínimo enquanto eles recebem 40 vezes mais fora as outras mordomias.

A solução para ajudar nosso país é a seguinte, ou fundamos um partido comprometido com a ética e direita individuais dos brasileiros, ou nos filiamos num partido que defenda os direitos dos brasileiros, preocupados sempre com o bem está da família e o futuro de nossos jovens e adolescentes além da segurança nacional, saúde e educação de qualidade.

Conheço vários católicos que exercem algum tipo de influência nas mídias que foram convidados para filiar-se em alguns partidos com a intenção de começarem essa luta já nas próximas eleições municipais de 2020, intensifiquemos nossa luta para que essas eleições possam oferecer nova gente comprometida com a verdade e o bem está de todos.

E a análise que fazemos é que foi essa geração de cidadãos inconformados com a política suja que trabalharam para que o Brasil possa ter um presidente comprometido com a ética, à decência e a liberdade.

Esperamos que esse movimento possa crescer cada dia mais para que possamos alcançar os frutos desejados para as próximas gerações e reescrever a história do nosso país, sempre colocando os interesses da família acima dos do Estado.

Precisamos redescobrir o valor do trabalho, para deixarmos um legado para as nossas crianças a respeito do que foi feito pelo nosso país e o que ainda pode ser feito.

E o que nós queremos não é nada impossível, com o povo trabalhador e ordeiro que temos, podemos reconstruir a nossa nação e trazer para os nossos filhos aquilo que nos privaram no passado.

Olhando o estrago que a má política levada a cabo pelo PT fez, podemos nortear nosso caminho, reconstruindo o Brasil e nossa história, busquemos entre os cidadãos de bem as pessoas que podem ser peças chaves na nova história do Brasil.

Conclamo os católicos e cristãos de modo geral a travarmos juntos esta luta em defesa do Brasil e dos brasileiros, unindo o Brasil e os brasileiros rompendo com as barreiras da falsa defesa das minorias e ensinado que o brasileiro precisa ser respeitado e protegido independente de sua cor, sexo, religião ou posição política, a justiça tem que ser uma para todos os brasileiros e jamais pode ser seletiva.