Função da pregação / Sermão

03/03/2020

Por Pe. Frei Marcelo Aquino, O. Carm

É parte integrante da Santa Missa o ofício sagrado da pregação, que antigamente chamava-se sermão, em alusão aos sermões de Nosso Senhor Jesus Cristo. Neste momento o sacerdote ou o diácono deve proferir palavras de exortação à prática da doutrina Católica na vida dos fiéis. Mas antes dos fiéis, a pregação deve falar primeiramente ao próprio pregador.

No entanto, durante a pregação do Evangelho o sacerdote deve ater-se ao objetivo da pregação, nela não se busca pela oratória impressionar os fiéis, mas leva-los ao progresso espiritual, e para isso muitas vezes se deve fazer o uso de palavras que podem ser consideradas duras, mas nada de novidades, a Nosso Senhor Jesus Cristo também reclamaram, essas palavras são muito duras, portanto, não será a primeira vez que isso acontece na história e nem tão pouco será a última.

A sagrada função da pregação que na Igreja é restrita aos clérigos, realiza a continuação da missão de nosso Redentor, Ele mesmo pregou aos discípulos e ao povo, não delegou essa função a outros, mas instituiu os apóstolos para continuar sua obra redentora no transcorrer dos séculos.

Não obstante, a missão deixada pelo divino fundador, muitos sacerdotes cometem o erro de passar a missão de exortar os fiéis a outrem, sem justa causa e muito menos anuência do ordinário local, (o bispo), por isso se multiplicam os abusos cometidos dentro da liturgia, quando qualquer pessoa (qualquer, aqui não significa que se diminuam as pessoas, mas para salientar que não foram instituídas para tal), é chamada para proferir a homilia no lugar do presidente da celebração.

É na sagrada função da pregação, que o responsável por aquelas almas deve instruir com exemplos salutares o progresso daquelas almas a ele confiadas. Não se pode usar o espaço da pregação para se mandar indiretas, mas para desenvolver uma catequese que leve o maior número de almas a perceberem os erros doutrinais e morais que precisam ser corrigidos, quando o sacerdote consegue corrigir as almas, promove festa no céu.

Por meio da pregação, Deus pode falar a seu povo, colocando na boca do pregador as palavras que devem ser dirigidas aquela assembleia dos fiéis, sendo assim, o pregador deve pedir sempre em suas orações o auxílio do Divino Espírito Santo para que naquela pregação seja dito o que Deus quer e não o desejo pessoal do padre.

A homilia não é parte integrante do sacrifício, por essa razão durante a mesma no rito antigo o sacerdote tira a casula e fica só com a alva e estola, pois naquele momento o sacerdote não vai proferir palavras que já estavam previstas no missal, mas fará uso da oratória mediante um estudo da sagrada escritura e tendo pedido o auxílio divino para poder instruir ao povo, não segundo suas vontades, mas segundo a vontade de Deus.

Convém ao fiel, acompanhar com atenção a pregação, pois pode ser que naquele dia Deus pode fazer com que ele tenha uma luz a respeito de algo que antes estava incompreensivo para ele. Não necessariamente vai acontecer que a pessoa vai ter um estalo e de uma hora para outra compreenderá tudo, mas pode ser que Deus use de seu ministro para fazer conhecer melhor a sua santa vontade em nossas vidas.

O amor a Sagrada Escritura deve ser a luz buscada pelo sacerdote para poder proferir palavras sábias aos ouvidos dos fiéis, deve-se sempre está atento que a nossa vontade não pode nunca se sobrepor a vontade de Deus.

Devemos ficar também atentos quanto ao conteúdo da pregação, a pregação não consiste na repetição de tudo o que foi lido momentos antes do início da pregação, mas a exposição do evangelho por meio de interpretação a luz da Verdade, para que melhor seja compreendido pelos fiéis que participam do santo sacrifício de Nosso Senhor.

Ao não compreender algo que foi lido no santo evangelho, e, ou, na pregação, não se deve se desesperar, mas buscar meditar no coração a exemplo da santíssima virgem Maria, para que no momento de Deus, nós possamos colher os frutos da palavra semeada nos nossos corações e assim vamos nos alimentar de tal forma com a Palavra de Deus, que nossas palavras se confundam com a Palavra divina.

Portanto, nunca pensemos que a pregação seja a parte mais importante da santa Missa, nem sempre os sacerdotes são bons pregadores, tiro por mim mesmo, se o povo dependesse de minhas homilias para progredir espiritualmente, estariam realmente perdidos.