Dedicados a Liturgia

06/03/2020

Por Pe. Frei Marcelo Aquino, O. Carm

A liturgia é a vida da Igreja. O cume da vida cristã católica é a celebração do culto Divino, onde o Senhor nos dá seu corpo e seu sangue como alimento de nossas almas. Celebrar a sagrada liturgia é entrar em comunhão com Deus, por essa razão se faz necessário viver intensamente e solenemente este encontro.

Para que a liturgia seja bem celebrada, ela não precisa de nada além do que está prescrito no Missal Romano. Muitas vezes os leigos que ajudam nas paróquias pensam em muitas coisas que, acreditam ser bons elementos para "incrementar" a liturgia, mas isso é uma perda de tempo, a liturgia não é capenga, ela não precisa ser aprimorada para ficar melhor, ela apenas precisa ser respeitada. Por isso, se faz necessário algumas orientações acerca da liturgia. Primeiro não se deve usar tecidos coloridos para enfeitar o ambiente, as cores litúrgicas devem apenas aparecer nos paramentos dos sacerdotes, em segundo lugar, não se deve colocar cartazes no ambão da palavra, o ambão deve ser ornado com um tecido ou até mesmo nu. Também não se devem preparar símbolos no chão, Igreja não é terreiro de candomblé para colocar coisas no chão na hora da Santa Missa.

Evitar ornar a igreja com balões de aniversário, mesmo que o aniversário seja de Jesus, nosso Senhor, também é salutar evitar bater parabéns para alguém que faz aniversário dentro da missa, se quiser pode fazê-lo depois da bênção final, pois os parabéns para você, não faz parte do rito da Santa Missa.

Olhando assim, podemos achar que são muitas prescrições para desenvolver na Santa Missa, e até, podemos achar que é difícil, não é não, para isso existe o Missal Romano, siga o que ele diz, as letras pretas são as palavras que devem ser ditas, as vermelhas os gestos que devem ser feitos, fácil assim, basta saber ler e tudo vai sair direitinho.

Mas por que o padre não pode usar da criatividade? Porque a missa não é do padre, mas de Nosso Senhor, se o padre quiser usar criatividade, use-a na casa paroquial, na hora do almoço por exemplo, deixe de usar a mesa e use o chão como mesa, coloque a comida num papel ao invés do prato, jogue o suco no chão, ao invés do copo, lá ele pode fazer tudo isso, já que é amante das criatividades, mas na Santa Missa não.

Quem deve aparecer na Santa Missa, é o Cristo, e não o padre e nem os que ajudam na liturgia, por isso se você tem dotes de teatro se escreva numa escola de teatro, igreja não é palco para shows. Nossa! Mas isso parece muito duro, não? Não. E por que não? Porque ninguém está dizendo que você tem que enterrar seus talentos e não os desenvolvê-los, só está se dizendo que a igreja não é lugar para isso.

Não é muito difícil celebrar bem a liturgia como alguns pensam, basta ter boa vontade e humildade para compreender que o autor da liturgia não somos nós, mas Deus, é preciso deixar que Deus tome as rédeas da liturgia e que o padre cumpra seu papel de padre, para que tudo corra na mais perfeita harmonia.

Existem outras coisas que precisam ser observadas para que a liturgia seja bem celebrada, se trata dos cânticos nela executados. Lembrem-se sempre os cantos na liturgia servem para nos ajudar a compreender o mistério celebrado, portanto, não se pode cantar um canto que nada tem a ver com o que está sendo celebrado. Por exemplo, não se pode cantar canto de louvor no lugar de canto de entrada, por dois motivos, primeiro porque o canto de louvor já está dizendo para qual finalidade ele está sendo executado, e a missa não é louvor, mas Sacrifício. Segundo, porque o canto de entrada deve introduzir na celebração.

Se a liturgia do dia fala, por exemplo, da pregação de João Batista, convidando a conversão, não tem porque se executar um canto que fala sobre a descida do Espirito Santo. Outra coisa importante atentar, é que não basta o canto ser "bonito" para que ele sirva para missa, assim como não é concebível músicas protestantes serem executas nas missas.

Não basta falar de Deus, para ser um bom canto, a música não pode ter erros teológicos ou trampolim para heresia. A Santa Missa não é um laboratório de se testar músicas, a santa Missa é o lugar de nos encontrarmos com Deus. E nesse encontro desenvolver quatro finalidades inerentes a Santa Missa, a saber: Adorar a Deus, Pedir a Deus, Agradecer a Deus e louvar a Deus.

Na Santa Missa não precisa de comentário inicial e nem das leituras, basta que se toque um sino todos se levantam e o canto se começa a entoar, enquanto o sacerdote entra para celebrar o augusto sacrifício de Nosso Senhor.

Não se precisa fazer na Santa Missa entrada da bíblia, pois se entrar a bíblia isso quer dizer que o Lecionário no ambão com a Palavra de Deus não quer dizer nada. Na procissão do ofertório não deve se levar o cálice, mas somente a patena com a hóstia e o vinho, pois não se oferta ao Senhor o cálice, pois o cálice já fora ofertado ao Senhor no dia que foi consagrado pelo bispo.

Uma liturgia bem celebrada é um serviço à evangelização, disse certa feita o papa emérito Bento XVI.

E para terminar, mais dois pequenos esclarecimentos, não se põe flores encima do altar e não se coloca imagem na frente do altar. A frente do altar deve estar sempre livre, no máximo, se coloque um arranjo de flores no chão em defronte do altar.