Brasil conservador

19/02/2020

Por Pe. Fr. Marcelo Aquino, O.Carm.
A ausência de compreensão do significado das palavras produz grande confusão mental nas pessoas, sobretudo nos menos esclarecidas. São muitas as palavras que fazem as pessoas terem uma rejeição de imediato sem, contudo, terem consciência do seu real significado.
Começarei por uma palavra muito defendida nas discursões de uma tal cidadania, que é o preconceito. A maioria esmagadora das pessoas não sabe que ter preconceito não é um problema, não é um crime, pois o preconceito é apenas a premissa do conceito, ninguém tem o conceito das coisas sem antes ter o preconceito, portanto, o problema é continuar no preconceito sem passar para o conceito.
Mas o que domina as discussões é, apenas o combate ao preconceito, mas as pessoas que defendem isso não tem a mínima ideia do que é o preconceito, na maioria das vezes ele nunca estudaram a etimologia da palavra, mas apenas repetem o que os outros falam sem discernir, aliás, discernir é outra palavra pouco conhecida da grande massa.
A outra palavra que gostaria de expor nesta reflexão é a palavra conservador, o que se ouve muito Brasil afora é que devemos ter nojo de conservadorismo, mas na verdade as pessoas não conseguem compreender que conservar é um ato salutar, se conserva o que é bom, o normal é fazer o possível para conservar o que vai servir para a humanidade, é o que fazemos com a literatura, todos nós acreditamos que a leitura é uma grande "arma" contra a ignorância, por isso conservamos o costume de preservar bibliotecas e estimular o gosto pela leitura.
Manter um museu como aquele que foi consumido pelas chamas na Quinta da Boa Vista no Rio, é um ato conservador, pois ali se encontrava grande parte de nossa história. Quando não se compreende o significado das palavras a pegamos como o nosso inimigo e pela qual irei usar todas as minhas forças para poder banir da sociedade.
Uma coisa que muitos não querem aceitar, é que o Brasil é conservador, o seu povo preserva as tradições que nortearam a civilização ocidental e não abrem mão de seus costumes, de ter um filho que é educado a pedir a bênção aos pais, aos padrinhos, que conseguem sentir a importância da vida em família, de ter filhos e pensar num futuro em que os pais terão seus netos e vão pode contar histórias para eles.
Já foi mostrada diversas vezes que a grande maioria dos brasileiros que são cristãos e até mesmo quem não comunga da fé cristã a maioria esmagadora são contra o aborto e são abertos à vida, como Deus quer.
Mas quem fala contra os conservadores, falam sem conhecimento da palavra ou são realmente pessoas decididas a destruir uma civilização que deu certo.
Fingem que são democráticos, mas agem como ditadores, não aceitam a vontade da maioria se essa for contrária à deles, eles exercem uma verdadeira ditadura, a ditadura do relativismo, promovem as maiores às atrocidades e jogam a fama de ditadores nos outros e se fazem de vítimas, tudo isso é fruto de desonestidade intelectual, quando eu escondo que defendo ditadores que mataram inúmeros homossexuais e políticos contrários ao meu regime e saio como defensores das "minorias" especialmente os homossexuais e afins.
O Brasil precisa acordar para impedir que esses verdadeiros ditadores não façam da nossa nação um curral onde eles criam os gados deles para fazer o que quiserem.
Já está na hora de acordar para resistir ao discurso ridículo de que não podemos ser a favor de matança de bois para fazer churrasco, pois foi justamente para isso que Deus criou os bois, não foi para termos bois vovôs.
Todos aqueles que fazem discursos contra o conservadorismo, na verdade fazem discurso contra o Brasil, quem não aceita a vontade do povo, não aceita o povo.
O Brasil é conservador e é dos brasileiros, o nosso país nunca pertencerá a um partido político por melhor que ele seja, e quem vai reger nossa nação é Deus porque assim o povo o quer, não adianta gritar que o Brasil é laico, pois o Brasil pode ser laico, mas o povo é cristão e religioso e isso ninguém pode tirar do povo, a maioria dos brasileiros quer que Deus esteja acima de nós e não nós acima de Deus.
Não adianta querer pagar de bonzinho, defensor das "liberdades", da "cidadania", da "democracia", pois o nosso povo não é burro e sabe diferenciar o lobo da ovelha. A nossa defesa é para que a família grande projeto de Deus seja preservada como a conhecemos e possamos criar nossos filhos na decência e moral que nós acreditamos e não na que os ideólogos querem fazer goela abaixo.