A Imaculada conceição de Maria sempre virgem

19/02/2020

Por frei Marcelo Aquino, O. Carm

Quais as razões para que Maria Santíssima seja imaculada, sem a mancha do pecado original? Maria Santíssima é a cooperadora da obra da redenção, Deus quando resolveu fazer a nova e eterna aliança com os homens, Ele preparou tudo, pois, Deus anteveem os tempos, sabendo que precisava libertar seus filhos do poder do mau, reestabeleceu sua aliança com o povo, mesmo sabendo que o povo era um povo de cabeça dura, como o é até os dias de hoje, pois, esta não foi a primeira nem a segunda vez que Deus faz aliança com o povo.

Mas, para se fazer uma aliança que seja duradora, ou seja, eterna será preciso a intervenção de Deus sobre a humanidade, porquanto das outras formas, Ele deixou que os profetas levassem a cabo sua missão, e como apesar de muitos profetas terem conseguido converter o povo, contudo, eles os mataram e outros, Deus os chamou para si, sem, contudo, morrerem, como é o caso do profeta Elias, que subiu aos céus numa carruagem de fogo, (2Rs 2, 11).

Então, a última aliança que Deus fez com a humanidade, foi aquela na qual Ele mesmo, veio viver como nós, Ele se rebaixou, para alcançar nossa baixeza, sem, contudo, tornar-se pecador como o somos. Mas, para ser "igual" a nós, Ele precisava nascer como nós, e para isso colocou em prática seu plano de salvação, escolheu entre todas as mulheres da terra, àquela criatura que haveria de trazer seu Filho ao mundo, de uma forma extraordinária, e como é esta forma extraordinária? É a forma na qual, o nascimento do filho unigênito de Deus, não traga ao mesmo, a mancha do pecado, que todos os mortais trazem, o pecado original que veio da desobediência de Adão e Eva.

Foi desta forma, que Deus na sua onipotência, preservou Maria da mancha do pecado original, para que nela seu Filho encontrasse uma digna habitação, nascendo de Maria e somente dela, Jesus não herdaria a mancha

do pecado original, e assim Maria Santíssima dá ao mundo o salvador da humanidade, carne de sua carne, sangue de seu sangue.

A Igreja desde os primórdios do cristianismo, acreditou na concepção virginal de Maria, 700 anos antes, Isaías profetizara, "uma virgem conceberá, e dará à luz a Emanuel, que quer dizer Deus conosco" (Is 7, 14 ). Crente na palavra de Deus, a Igreja sustentou esta verdade, e em 1854 proclamou o Dogma da Imaculada Conceição, embora a crença nesta verdade de fé fosse de tempos imemoriais, só em 1476 a festa passou a ser celebrada de forma universal, mas já existia há centenas de anos antes.

Maria Santíssima é a criatura mais esplendida da humanidade, pois fora a única criatura de Deus capaz de realizar a sua vontade, sem se desviar de seu caminho salvador. Deus encontrou em Maria Santíssima a morada que os primeiros habitantes da terra lhe negaram.

É, em Maria a virgem que sabe ouvir, que se concretiza o plano salvífico de Deus, Jesus de Nazaré, aquele que haveria de vir salvar o mundo de seus pecados, veio por Maria quando o mundo estava já perdido, e ela, com sua graça alcançou-nos do Pai eterno as portas do paraíso, e Nosso Senhor sabendo da fidelidade de sua mãe para com o projeto de Deus, e num ato sublime de amor, até na última hora de sua vida terrena, Ele lembra de nós, míseros pecadores, e retribui com amor nossa ingratidão, dando-nos Maria como mãe.

Os filhos dos homens aqui na terra, têm ciúmes de seus pais para com os outros, mas, como Nosso Senhor Jesus Cristo é Deus, e sendo assim não pode ter pecado, Ele num gesto de amor doação, no-la entrega como mãe, rainha e mestra na vida espiritual, oh quão grande presente o Senhor nos deu, chamar de nossa a mãe que é dEle.

Por essa razão a Igreja canta, Maria pura e santa aos olhos do Senhor, por Deus foste escolhida, para seres mãe da vida, mãe do salvador.

Nosso Senhor Jesus Cristo é o verdadeiro homem, nascido da santíssima virgem Maria, este Homem nascido sem pecado, santificou ainda mais a sua mãe. E nos convida a sermos santos, fugindo das ocasiões de pecado.