A Igreja é mãe e mestra ou madrasta?

19/02/2020

Por Frei Marcelo Aquino, O. Carm

Nesse pequeno texto, tentaremos discorrer sobre a real importância da Igreja para a vida da humanidade. Há alguns anos por volta do fim do Século XIX e início do Século XX havia nos Estados Unidos um arcebispo católico chamado Fulton Sheen, esse grande evangelizador das terras do tio Sam, cunhou a seguinte frase, "Não existe no mundo uma centena de pessoas que odeiam a Igreja Católica, mas existem milhões de pessoas que odeiam o que pensam ser a Igreja Católica". Esta frase será a norteadora de nossa explanação.

Mas por que falar desse assunto? Será que é produtivo? Com certeza esse pobre texto, pode trazer luz para muitas pessoas, pois muitos estão envoltos numa fumaça escura e densa, que impossibilita a visão da verdade que está velada para muitos. E de que verdade se pretende falar esse texto? A verdade imutável. A verdade é uma pessoa, Jesus de Nazaré, esse mesmo Jesus de Nazaré que abriu as portas para a civilização, pois foi através dele, que todos os benefícios na vida dos homens foram possíveis, mas como assim foi através dele? Sim, pois foi pela instituição de um organismo divino chamado Igreja, que todo conhecimento prático de diversos temas recorrente a vida humana foi possível, é sim, para a infelicidade dos detratores que alardam que a Igreja representa um atraso para a sociedade humana. Pois, essa é mais uma mentira que tentam impor a sociedade.

Passemos por partes, por exemplo, será que todos têm consciência de que a Igreja é a responsável pela criação do sistema de saúde, de educação primária e universitário, da criação dos cartórios, da organização do ensino das artes, musicais do teatro e assim, muitas outras coisas que tomariam todo o nosso tempo.

Será que a maioria esmagadora da sociedade tem consciência de que é a Igreja que assiste os soropositivos na África? Que é a Igreja que mantem centenas de hospitais filantrópicos no mundo? Que a Igreja proporciona educação de qualidade a milhares de crianças carentes? Que a Igreja tirou

só no Brasil milhões de crianças da desnutrição? E que o soro caseiro fora criado pela Igreja? Será que sabem que o Vaticano ganhara 24 vezes o prêmio Nobel de ciências por seus incentivos a Ciência? E que o Vaticano tem a mais antiga academia de ciências do mundo desde 1582?

Com absoluta certeza, quem odeia a Igreja desconhece esses feitos prodigiosos, feitos esses, que demonstram a verdade dos fatos, verdade essa desconhecida de muita gente, ou por que não dizer, desconhecida por mais da metade da população mundial.

Observando esses feitos, percebemos o quanto é verdade a frase citada acima, do hoje venerável Fulton Sheen. A frase dele é infinitamente verdadeira, uma vez que ele além de ser sucessor dos apóstolos, era também apóstolo da verdade, as verdades levadas acabo por aquele homem, retumbam ainda hoje em nossos ouvidos.

Mas, infelizmente em dias hodiernos, a mentira tem muito mais difusão, as pessoas vão sendo educadas a dá infinitamente mais valor a mentira em detrimento da verdade, a verdade está claramente aí em nossa frente, mas preferimos ocultá-la, para dá espaço a "verdades" construídas nos laboratórios daqueles que pretendem vender seu produto, fantasiado de cordeiro, mas, sabemos que na verdade é um lobo aterrador.

Analisemos as durezas da Igreja Católica, por exemplo vejamos como é o trato da Igreja aos homossexuais, praticamente em todas as paróquias temos homossexuais exercendo serviços diversos, seja na catequese, seja na liturgia seja na coordenação de grupos. Eles só não têm o direito de casar-se, mas os demais todos estão ao dispor deles. E eles sentem-se muito bem acolhidos. São raras as exceções em que eles não encontram espaço na Igreja.

Outra prova da "dureza" da Igreja, no Código de Direito Canônico, Lei que rege a Igreja, diz claramente que ex-padres não podem sequer dá catequese, quanto mais ensinar teologia para seminaristas, mas na prática o que vemos é outra, em praticamente todas as universidades e faculdades católicas temos ex-padres dando aulas livremente.

Uma vez uma aluna de teologia falou assim para um professor, - "O senhor viu a passeata que foi feita para protestar pelo desrespeito aos católicos causados no episódio do chute da imagem promovida por uma seita protestante? " Ao que o professor respondeu, - "A Igreja não devia fazer protesto por isso não, ela devia fazer protesto é pelos pobres que não tem o que comer e nem onde dormir", e a aluna completou, - "a Igreja não precisa fazer protesto por isso não professor, sabe por que? Porque ela os assiste, dando o necessário, pois protesto não enche a barriga de ninguém". Eu acho que esse professor podia ir dormir sem essa, não é verdade?

Pois é 99% dos que odeiam a Igreja Católica, odeiam o que pensam ser a Igreja Católica. Não tem como rebater essas verdades, ir contra elas, é ser levianos e desonestos intelectuais, já dizia o autor de todo o bem no mundo, Nosso Senhor Jesus Cristo, Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. (Jo 8, 32).

Ansiamos largamente por este dia, para que nossa sociedade possa dar passos largos em direção do progresso, e quando vamos nos render a verdade suprema.

A maioria esmagadora dos indivíduos que não aceitam a Igreja Católica ou que a criticam, são aqueles que não compreendem que a Igreja não é uma democracia que ao gosto da maioria ela se molda para agradar. A Igreja tem a missão de ser na terra continuadora da obra redentora de Cristo, e por isso segue sua doutrina e não a doutrina do mundo.

Na Igreja Católica se busca agradar a Deus e não aos fiéis, pois, o sacrifício celebrado não é oferecido ao povo, mas a Deus, portanto, quem deve se agradar do sacrifício e aquele que recebe a oferenda agradável. Não se deve buscar diversão na Missa, pois o lugar de diversão é outros, como os shoppings centers, os parques de diversões, a praia, a lagoa, o estádio de futebol e tantos outros lugares.

Mas os que não se agradam da Igreja Católica querem que ela seja ou que ele quer, e não o que Deus deseja dela. A verdade é que a Igreja é bem aberta, todos encontram nela seu lugar, mas não podemos confundir

lugar com acesso a sacramento, pois eu posso ser convidado para ir na sua casa, mas isso não significa que terei acesso ao seu quarto e cama.

Portanto, para os visitantes lhes é reservado um lugar próprio do visitante, assim na Igreja, os lugares das pessoas estão marcados. Cada um ocupa seu lugar na vida Igreja, sem ultrapassar o lugar do outro.

Depois de analisar esses fatos todos, só podemos constatar que a Igreja é realmente Mãe e Mestra. Só a Igreja nos ensina como mãe e mestra, o mundo tenta nos ensinar, mas ensinar a trilhar caminhos tortuosos, e além disso por meio da ditadura.