A Crise na Igreja

03/03/2020

Por Pe. Frei Marcelo Aquino, O. Carm

A chamada crise na Igreja é um tema muito extenso, queremos refletir um pouco só, abrindo os horizontes para aqueles que por ventura se interesse a aprofundar mais no assunto aqui discorrido.

Em primeiro lugar se faz necessário lembrar que a raiz de muitas dessas crises está dentro da própria Igreja, não como parte essencial da Igreja, mas como uma erva daninha um joio em meio ao trigo. São aquelas pessoas que estão obstinadas a destruir a Igreja de Cristo, e essas pessoas se transvestem de católicos, passam uma imagem de que são parte da Igreja, mas na verdade são os verdadeiros inimigos da Igreja.

Demos nomes aos bois, quem são os inimigos da Igreja? São todos aqueles que querem de toda forma instaurar uma nova igreja a todo custo, eles criam sua nova liturgia, celebram do jeito que acham "melhor", pregam uma doutrina estranha à doutrina da Igreja, pregam a favor do divórcio, a favor da ordenação de mulheres, a favor da dessacralização da Igreja.

A missa não é celebrada como reza o Missal, esse é um dos principais motivos pelos quais os fiéis têm acorrido cada vez mais à santa Missa no Rito Antigo. Muitos sacerdotes não tem o mínimo de noção de sua missão sublime, apascentar as ovelhas do Senhor, tem sacerdotes que diz que se os fiéis quiserem ir para o inferno o problema é dele, (dos fiéis), mas aqui se ver uma clara demonstração de falta de conhecimento da missão do sacerdote, um sacerdote é pároco para cuidar das almas dos fiéis, ele dará conta a Deus de todos os fiéis que por ventura tiver ido para o inferno, a não ser que esse fiel tivesse se obstinado no erro, apesar das correções do pároco. Pois o pároco é cura das almas, e por esse motivo, ele deve fazer o possível e o impossível para que suas ovelhas não se percam.

Se o povo tivesse mais amor à doutrina da Igreja e a estudasse, talvez seria mais fácil identificar quando o pregador, é mal pregador, é um pregador que não prega a Cristo Jesus, mas a si mesmo e seus caprichos, a homilia verdadeira não é aquela que diz o que o povo quer ouvir, mas aquela que diz o que o povo precisa ouvir.

Mas quando nós vamos a Igreja para nos sentir bem e não para prestar adoração a Deus, as correções aos nossos erros se tornam um grande tormento, mas Nosso Senhor disse em seu santo Evangelho que o Reino de Deus será tirado de quem não quer fazer a vontade de Deus e será dado a quem o queira. É forte isso, mas é a verdade, precisamos decidir a quem nós queremos seguir, se é a Deus ou ao mundo.

A Santa Missa não é mais uma coisa na Igreja, a Santa Missa é o céu na terra, portanto, nela se deve participar com a maior reverencia possível, mas o que vemos em dias atuais é justamente o contrário, vemos padres que são os primeiros a incentivar o povo a fazer coisas erradas na Missa, manda o povo rezar partes próprias do sacerdote, tem padres que mandam o coroinha rezar uma parte da oração eucarística, tem padres que mandam o coroinha segurar o cálice na hora da doxologia, ou seja, está um caos a liturgia da Igreja.

Essa é, portanto, a grande crise que a Igreja enfrenta. E por causa desse desastre que acontece na Igreja, os fiéis vão se alinhando aos erros dos padres e aí quando isso acontece esses fiéis, passam a corrigir os padres que buscam realizar o correto, tem ministros extraordinários da comunhão eucarística que pensa que o ofício de distribuir a eucaristia na Missa é deles, e o padre deve ficar sentado.

A crise na Igreja não tem fim. E essa crise piora ainda mais, quando aparece um padre que diz que as pessoas não precisam rezar, não precisam fazer penitências, não precisam se confessar, não precisam participar da missa todos os dias e por aí vai. Ou seja, o padre que devia ser o primeiro catequista do povo, se torna aquele que afasta as ovelhas do Senhor.

A crise na Igreja parece que não podia ser pior, mas se torna justamente quando presenciamos leigo defender padres errados, e desprezar os padres certos. Certo aqui não significa que são padres que não têm pecado, mas são aqueles que não querem ser outra coisa que aquilo que é próprio do ofício sacerdotal.

Diante de tantas coisas ruins, não desanimemos irmãos, o satanás não vai conseguir destruir a Igreja, Nosso Senhor nos prometeu, Nossa Senhora a mãe da Igreja intercede constantemente por nós, avante com Cristo Jesus!

Não digo essas coisas para ficarem tristes, mas para que intensifiqueis as vossas orações!